Prêmio ANA 2014 está com inscrições abertas

Até 30 de maio deste ano estarão abertas as inscrições para o Prêmio ANA 2014. Em sua 5ª edição, a premiação bienal busca reconhecer boas práticas relacionadas à água em sete categorias: empresas; ensino; governo; imprensa; organismos de bacia; organizações não governamentais (ONG); e pesquisa e inovação Tecnológica. Os trabalhos devem contribuir para a gestão e o uso sustentável dos recursos hídricos do país. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas através do hotsite do prêmio : www.ana.gov.br/premio.

A premiação também busca identificar ações que estimulem o combate à poluição e ao desperdício e apontem caminhos para assegurar água de boa qualidade e em quantidade suficiente para o desenvolvimento das atuais e futuras gerações.

O Prêmio ANA 2014 terá uma Comissão Julgadora composta por membros externos à ANA e com notório saber na área de recursos hídricos ou meio ambiente. Um representante da Agência presidirá o grupo, mas sem direito a voto. Os critérios de avaliação dos trabalhos levarão em consideração os seguintes aspectos: efetividade; impactos social e ambiental; potencial de difusão; adesão social; originalidade; e sustentabilidade financeira (se aplicável).

A Comissão Julgadora selecionará três iniciativas finalistas e a vencedora de cada uma das sete categorias. Os vencedores serão conhecidos em solenidade de premiação marcada para 3 de dezembro de 2014 em local a ser definido. Os sete vencedores receberão um Troféu Prêmio ANA.

Inscrições
Nesta edição do Prêmio ANA, as inscrições devem ser realizadas pelo hotsite. Caso os participantes queiram enviar materiais físicos complementares, o envio deverá ser realizado por remessa postal registrada aos cuidados da Comissão Organizadora do Prêmio ANA 2014 no seguinte endereço: SPO, Área 5, Quadra 3, Bloco “M”, Sala 118, Brasília (DF), CEP: 70610-200.

A data de postagem será considerada como a de entrega e o localizador da remessa deverá ser informado no ato da inscrição, que só será confirmada pela Comissão Organizadora após o recebimento dos materiais complementares.

Cada participante pode inscrever mais de uma iniciativa. Além disso, poderão ser apresentados trabalhos indicados por terceiros, desde que acompanhados de declaração assinada pelo indicado, concordando com a indicação e com o regulamento da premiação.

Unidade da Irani recebe certificações ISO 9001 e FSC

Federação Sueca de Indústria Florestal encomendou uma nova pesquisa para as suecas Hanna Billqvist e Anna Glansén. Elas aceitraram o desafio e criaram um prato “autolimpante”, com um suposto revestimento especial que o torna impermeável à sujeira e a líquidos.

O projeto tem como objetivo explorar novas maneiras de usar extrato de celulose, colhido das paredes celulares de plantas fibrosas. A louça autolimpante é composta por uma variação especial da substância, conhecida como nanocelulose, que não é apenas leve e maleável, mas também durável o suficiente para resistir a quedas acidentais. Na verdade, a força do material está a par do Kevlar, uma fibra sintética usada na fabricação de coletes à prova de balas.

As propriedades de autolimpeza são adicionadas aos produtos por meio da aplicação de um revestimento super-hidrofóbico que Glansén descreve como totalmente natural e construído para imitar a capacidade da folha de lótus.

Embora as pesquisadoras não tenham dado detalhes sobre como funciona o revestimento resistente à sujeira, elas afirmaram usar um processo chamado de expansão rápida de soluções supercríticas para criá-lo. O material é dissolvido em dióxido de carbono á alta pressão e temperatura, e, em seguida, pulverizado sobre a superfície do produto.

Glansén diz que seu novo produto não é apenas seguro, mas funciona exatamente como anunciado, repelindo qualquer sujeira. Para limpá-lo, basta virá-lo ou colocá-lo de cabeça para baixo sobre uma pia. Embora ainda seja um conceito, ela diz que a tecnologia deve ser uma solução de longo prazo.